Select Page

imagem-de-familia-2A família inegavelmente é o melhor projeto concebido e implantado por Deus para relacionamento com Ele, entre seus componentes e as pessoas com quem interage. A família representa um grupo primário que influencia seus participantes, produzindo valores de caráter e disseminando princípios por toda a sociedade. Deus criou homem e mulher como núcleo familiar monogâmico e o estruturou para que vivesse em amor, harmonia, alegria e paz, segundo elevados padrões éticos e morais, viabilizando maravilhosa experiência e formando a base de gerações subsequentes felizes. Deus dá a vida ao ser humano para que viva sobre o alicerce familiar estruturado dentro dos padrões divinos. Havendo vida, há que preservá-la e destiná-la para viver numa boa família. Tudo de melhor que pode acontecer à sociedade é consequência da educação equilibrada em família.

Valores e influências distorcidas têm seduzido o ser humano ao longo dos tempos e provocado consequências desastrosas. Quantas vidas no útero de mulheres deixaram de existir por medo de gravidez indesejada ou mesmo de receio “do que vão dizer”. O aborto é egoísta, pois desconsidera a vida que se formou no ventre da mulher. Os descontroles gerados pelos vícios ou mesmo a falta de discernimento quanto ao adequado convívio relacional produzem violência familiar que geralmente alcança esposas e filhos, com sequelas de difícil cura e relacionamentos normalmente restaurados somente em médio e longo prazo. Nesse contexto ainda acontecem os abusos sexuais, causadores de medos, inseguranças e depressões. Os divórcios por sua vez têm dilacerado a sociedade, afetando principalmente os filhos. Dificilmente filhos de pais divorciados encontram norte para suas vidas. Sempre falta a presença do pai ou da mãe nos momentos mais cruciais de formação do caráter. Faltam referências, orientações e exemplos dignos.

São situaçõesimagem-de-familia-3 que produzem uma sociedade onde impera o egocentrismo, o desejo de sempre levar vantagem sobre o outro, a ganância de alcançar ganhos além das necessidades e a falta de honestidade de propósitos. Uma sociedade doente, ferida e infeliz. Nela encontram-se inúmeras pessoas tristes que sofrem, quando poderiam se alegrar e viver em harmonia e plenitude. Nela há ainda várias pessoas atribuladas pela insegurança e falta de esperança, quando poderiam viver em paz. Nela também se constata pessoas derrotadas que poderiam ser vencedoras.

A família estruturada é verdadeiramente a célula de uma sociedade saudável, ética e produtiva. A vida equilibrada em família necessita ser o foco das principais e prioritárias atenções. Se não for, casamentos serão desfeitos, filhos estarão sujeitos à violência familiar e às influências das más conversações e costumes. Gerações serão perdidas.

A missão do Hessed – Instituto da Família é orientada pelo padrão da graça, do amor e da misericórdia de Deus revelados na Nova Aliança em Cristo Jesus, para sermos agentes de transformação do contexto social das famílias, procurando elevar a sociedade em que vivemos a patamar superior de desenvolvimento, amor, harmonia e paz planejados por Deus, preparando o povo de Deus para a glória do Pai na eternidade.

É nesse sentido que tratamos aqui do vínculo ministerial, da finalidade, da missão, da visão, dos princípios éticos e dos fundamentos norteadores do Hessed – Instituto Família, criado para o resgate e a restauração da identidade, da dignidade, da integridade e do bem-estar da família. Aborda, ainda, acerca dos cursos e seminários que oferece.

Visando a consecução dessas orientações gerais por intermédio da liderança, tendo como perspectiva a adequada operacionalização dos cursos e seminários Hessed, para o alcance dos resultados almejados, este Manual também traz critérios e normas acerca da estrutura e do processo de liderança Hessed, da escolha e a preparação das lideranças dos respectivos cursos e seminários e do suporte e reconhecimento aos Líderes Hessed.

O Hessed – Instituto da Família tem desenvolvido vários cursos, seminários e literaturas destinados à cura e à transformação das pessoas e famílias. Procure conhecê-los para obter uma dimensão mais completa de cada um deles. Você, enquanto líder Hessed, necessita estar preparado(a) para esclarecer às pessoas a relevância dos propósitos dos cursos e seminários, exercendo o seu papel de disseminador(a) das atividades do Hessed.

Atualmente, os cursos, seminários e literaturas do Hessed são os descritos a seguir.

HESSED, PAIS E FILHOS

A paternidade é um grande desafio para cada um de nós, pois implica assumir a responsabilidade de transmitir valores, construir caráter, gerar uma personalidade que possa fazer diferença positiva em uma geração onde a moral, a ética, a religião, as autoridades e as instituições perderam o sentido e o significado. É nesse tempo e diante destas circunstâncias que foi desenvolvido o “Hessed, Pais e Filhos, um Caminho Sobremodo Excelente”. Seu fundamento é a aliança, o amor incondicional de Deus pela humanidade, sobre a qual devemos construir a nossa paternidade. Aliança é a busca dos interesses do nosso parceiro… O que é melhor para a família é auxílio mútuo para o sucesso de cada um.

 

 

A família é o plano de Deus para estabelecer o seu propósito. No Hessed Pais e Filhos a visão é ampliada, utilizando os termos família e equipe familiar, na própria casa, a fim de abordar a unidade e a peculiaridade de cada membro nesse organismo. É nesse ambiente caseiro que os pais podem cumprir o mandato recebido de Deus: projetar a Imago Dei em seus filhos, identificar e confirmar a Missio Dei, sendo verdadeiros facilitadores, a fim de que seus filhos cumpram o propósito de Deus aqui na terra.

Para que isso seja uma realidade é necessário que os pais se tornem vulneráveis, e se “convertam aos seus filhos”. O próprio Deus é apontado como o exemplo de Pai que tomou a iniciativa, e veio ao encontro dos seus filhos, utilizando como principal ferramenta o seu amor Hessed, encarnado na pessoa e vida de Jesus de Nazaré. Esta é a verdadeira redenção para nossos filhos. É a redenção para a vida. serviço, amor e romance, conforme o plano de Deus.

FRÁGEIS DEMAIS PARA TANTA VIOLÊNCIA E ABUSO

Temos visto que muitas são as forças agindo contra a família. E aí, perguntamos: O que podemos fazer para enfrentar estes desafios? “Frágeis demais para tanta violência e abuso” é um convite à ação e transformação. A violência doméstica é considerada um dos fatores que mais estimula crianças e adolescentes a viverem nas ruas.

A ideia de que o agressor sempre era um estranho escondido numa rua escura é coisa do passado. Nos dias atuais os rostos são conhecidos e bem familiares paras vítimas. Frequentemente, vítimas de violência doméstica e abusos ficam sem resposta a mais intrigante e universal pergunta: Por que tenho que passar por esse sofrimento? Dependendo do estilo parental utilizado, a família pode ser um fator de proteção ou de risco. Se não é ético admitir “níveis aceitáveis” de violência contra a mulher, seria ético admiti-los em relação às crianças? Que tal banir de vez a noção de “níveis aceitáveis” de violência? Nós não podemos conhecer a plenitude de Deus sem compreender o que é ser uma criança. Se o sacrifício de nosso Senhor Jesus fez tanto pelas mulheres, pelos escravos e pelos leprosos, fez ainda mais pelas crianças.

“Frágeis demais para tanta violência e abuso” permitirá que o participante de curso ou seminário encontre esperança, que é um fator crucial na caminhada das vítimas que perderam sua identidade. O que é proposto aos participantes é oferecer abordagem e intervenção espirituais, que sejam capazes de libertar das mágoas e construir um caminho para uma nova identidade forjada por Deus.

A IGREJA DOMÉSTICA

O ministério cristão necessita ser dinâmico, estar em constante movimento, em transformação, recebendo inovações, tudo dentro dos parâmetros bíblicos, teológicos, sociológicos e históricos. “A Igreja Doméstica” é algo que Deus está trazendo à luz, que pode dar um toque de excelência no ministério. A maioria dos cristãos ainda vive condicionada por um dualismo. Vivem no mundo e vão à igreja.

Diante disso, há uma convicção de que se faz necessária uma revitalização no ministério de pequenos grupos ou células, atribuindo a elas sua mais intrínseca e orgânica peculiaridade, seu “DNA” – a domesticidade. Não se quer com isso condenar as diversas expressões da igreja corporativa e seus ambientes próprios. O que se quer reforçar é que, como famílias cristãs, fomos projetados para viver na igreja, pois como corpo de Cristo, vivemos e nos movemos nele.

Nossa expectativa é receber uma profunda consciência dessa realidade, a qual nos poderá mover a uma tomada de decisão e nos levar a inaugurar a igreja doméstica em nossos lares. Compreendendo que o lar é o cenário onde travamos a batalha da vida cristã autêntica ou não autêntica, pois o lar é o epicentro dos relacionamentos das pessoas, a proposta é que caminhemos juntos nessa aventura, nessa busca sincera e com profundo zelo, aguardando em Deus que nos seja mostrado ainda “um caminho sobremodo excelente”. Não se trata de mais um “modismo” no movimento de crescimento da igreja e nem há a pretensão de pensar que estamos com a verdade ou que somos os únicos que abordam este tema.

O que desejamos com “A Igreja Doméstica” é encorajar cada família cristã a ser igreja em seu mais íntimo ambiente, o lar. É resgatar a essência da igreja e sua domesticidade. Para tanto, devemos ter em mente que a igreja doméstica é o ambiente social essencial no qual a identidade da igreja cristã primitiva se desenvolveu. Naquela ocasião, as casas dos cristãos judeus e, com a expansão do evangelho, as casas dos cristãos gregos e romanos, eram o principal cenário para as reuniões e ajuntamentos cristãos. Não importava o tipo de reunião cristã, a forma de adoração ou a liturgia a ser praticada. Tudo era adaptado e integrado no ambiente doméstico. Historicamente, cristãos entendem que sua missão é ir à igreja, enquanto vivem no mundo. “A Igreja Doméstica” mostra um novo paradigma: “cristãos vivem na igreja e vão ao mundo”. Essa é a consciência que desejamos formar. Uma consciência prática que afirme que nós, cristãos, somos uma comunidade eclesial em nosso lar, onde a família experimente o incondicional amor de Deus – Hessed e dele participe. Ali, em família, como igreja doméstica, cada cristão poderá cumprir a grande missão de servir.

Servir a Deus, servir aos nossos entes queridos, servir aos outros. No lar o nosso coração é formado. Nos momentos juntos nas refeições e conversas, principalmente à mesa, nossos corações são conectados e tratados. A casa, o lar, torna-se o santuário de Deus e a mesa, o altar, onde podemos experimentar a presença poderosa de Jesus fortalecendo nossa família, unindo nossas vidas e nutrindo nossos corações. A igreja doméstica é um santuário onde Deus é adorado, onde a educação cristã acontece e a fé é edificada. A igreja doméstica é onde há possibilidade de se viver, verdadeiramente, em santidade. A mesma graça que nos alcançou nos impulsiona a servir as pessoas tanto na igreja doméstica como na igreja extensa, além de ainda ir ao encontro daqueles que não foram alcançados pelo amor de Deus. Dessa maneira, a igreja doméstica torna-se uma apresentadora da graça divina. Algo que está nos propósitos eternos de Deus.

A GLÓRIA DO MATRIMÔNIO

O Sagrado Matrimônio pertence a Deus! É uma das mais alegres celebrações, comum a todos os povos e culturas. Ao instituir o casamento, Deus o fez numa manifestação de autodoação, ou seja, Deus dando-se a si mesmo em amor, ou compartilhando sua natureza, seu caráter, sua motivação e sua relação com a criatura. Ainda que alguns teólogos da idade média tenham afirmado que o Matrimônio foi instituído apenas como remédio contra a lascívia, as Escrituras Sagradas asseguram que o casamento foi estabelecido por Deus antes da queda do homem no Éden.

Quando um homem e uma mulher são unidos pelos lações do matrimônio, o casal é feito uma só carne sob a graça de Deus, diante de testemunhas, da adoração e testemunho do favor de Deus. O ataque que a família e o casamento vêm sofrendo nas últimas décadas é algo inimaginável. Contudo, para boa parte da sociedade esses dois valores continuam inalterados e preservados por Deus. Parte das famílias permanece fiel aos valores domésticos, mas muitas já foram destruídas, enquanto outras estão abismadas e cheias de dúvidas sobre o valor último da vida familiar. Outras ainda se encontram imobilizadas por várias situações na justiça, provocando disfunções e a própria destruição dos valores fundamentais da humanidade como o matrimônio e a família. É missão inadiável da igreja falar, ensinar e conscientizar a todos os que tenham ainda um remanescente de esperança, aqueles que estão mergulhados no implacável poder da descrença dos nossos dias (niilismo), aqueles que estão em busca de uma maior consolidação desses valores em sua vida conjugal e familiar e também aqueles que estão em boas condições ou que supõem que estejam.

“A Glória do Matrimônio” pretende alcançar a todos: casais mais jovens, que estão no início de carreira; os que estão em meio a sua jornada; e até mesmo os que já percorreram a maior parte do caminho de sua vida matrimonial. A intenção é oferecer novos horizontes para o casamento e vida familiar, bem como ajudar a todos a descobrir ou rever a beleza e a grandeza da vocação conjugal e familiar em serviço, amor e romance, conforme o plano de Deus.

VÍNCULO MINISTERIAL

O Hessed – Instituto da Família e seus ministérios vinculam-se ao Ministério Grão de Mostarda, com sede em Brasília – DF, mantendo com este total interação e sintonia ministerial e organizacional.

FINALIDADE

O Hessed tem por finalidade a pesquisa, a estruturação, o desenvolvimento e a produção de material pedagógico-educativo e a ministração de cursos, seminários e outros meios de disseminação, que visem o resgate e a restauração da identidade, da dignidade, da integridade e do bem-estar da família, podendo atuar em todo o território brasileiro e no exterior.

Para cumprir sua finalidade, o Hessed desenvolve, produz e implementa cursos e seminários, assim como seus respectivos conceitos, métodos, modelos, projetos, literaturas, vídeos, CD´s, DVD´s e outras mídias e instrumentos pedagógicos e de comunicação, assim como encontros e congressos, capacitando e credenciando comitês e líderes específicos com esse objetivo.

MISSÃO

A missão do Hessed – Instituto da Família é atuar como agente de transformação do contexto social das famílias, procurando elevar a sociedade em que vivemos a patamar superior de desenvolvimento, amor, harmonia e paz planejados por Deus, preparando o povo de Deus para a glória do Pai na eternidade. Sua referência é o padrão da graça, do amor e da misericórdia de Deus revelados na Nova Aliança em Cristo Jesus.

VISÃO

O fundamento que norteia a atuação do Hessed é expresso pelo Deus da aliança, que a estabelece com o homem e o capacita para cumpri-la. A Nova Aliança em Cristo Jesus traduz a essência do plano de Deus na dispensação da Sua graça, na qual o alicerce é o amor ágape e a humildade de servir a Deus e ao próximo. O nome Hessed é decorrente desse fundamento.

O Hessed adota os princípios cristãos evangélicos, tendo a Bíblia Sagrada como sua única regra de fé e prática.

Na sua essência, o Hessed – Instituto Família se constitui em ministério que é fruto da convicção de que as famílias carecem de uma abordagem cristã fundamentada na Nova Aliança, que vise a prevenção, a cura e a restauração de pessoas e famílias, atuando para evitar e minimizar os sofrimentos familiares e da sociedade em geral. O Hessed foi criado dentro da ótica complementar e cooperativa. Não vislumbra ser a única ou a mais importante das iniciativas dedicadas à nobre tarefa de restaurar e edificar as famílias, em apoio às igrejas e à sociedade. O Hessed pretende unicamente realizar a missão que lhe foi confiada, estando aberto às parcerias em prol do maior alcance possível de pessoas e famílias.

O alvo são as pessoas e famílias. Assim, o Hessed estará sempre à disposição das igrejas cristãs de diversas denominações para apoiá-las e com elas manter relacionamento responsável que considere o contexto de seus ministérios.

Portanto, todas as igrejas e as organizações para-eclesiásticas que se dedicam às famílias têm importante papel e necessitam permanecer dando suas valiosas contribuições. Nenhum esforço é secundário. O importante é somar e multiplicar. Nunca subtrair e dividir.

PRINCÍPIOS ÉTICOS

O Hessed evita o desenvolvimento de atividades, conceitos, métodos, modelos e projetos iguais ou semelhantes aos adotados por outras iniciativas para resgate e restauração de famílias.

Dessa forma, o Hessed tem como princípio ético não competir com outras instituições que atuam com ministérios, cursos ou seminários destinados às famílias.

FUNDAMENTOS NORTEADORES

A publicação “Hessed, Pais e Filhos – Um Caminho Sobremodo Excelente”, produzida pelos Pastores Iran Bernardes da Costa e Neuza Maria S. Costa, e apresentada no XVII Encontro Nacional do Ministério Grão de Mostarda no ano de 2011, mostra os pontos que devem orientar todas as ações do Hessed – Instituto Família. São pontos que se constituem nos fundamentos norteadores do Hessed, reproduzidos a seguir.

A ferramenta é o amor

Com ênfase na Nova Aliança, o Hessed busca um caminho sobremodo excelente. Preterindo os meios até agora utilizados, está voltado para as coisas que são melhores e pertencentes à salvação. Estamos nos referindo ao que Cristo conquistou na cruz, um novo estado de espírito e um novo estilo de vida, que o Novo Testamento chama de amor incondicional, ou Hessed (1 Co 13; Hb 6:9).

O método é a aceitação

Uma das mais profundas e urgentes necessidades das pessoas é a certeza de sua aceitação. Todas as pessoas são preciosas e devemos aceita-las como elas estão ou são, pois esta atitude oferece uma oportunidade para a operação da Palavra de Deus e do Espírito Santo, que são poderosos para a salvação de todos. Todavia, é importante ressaltar que aceitar as pessoas não implica em concordar com o estilo de vida que praticam. Por errar na distinção destes dois aspectos (valor individual e estilo de vida) é que a igreja tem falhado em sua principal missão: a de transmissora da graça de Deus e de colaboradora para a transformação da vida das pessoas que lhe são confiadas.

A sustentação é a oração

Respondendo a uma pergunta de D. L. Moody, uma criança disse que “Oração é uma oferta que fazemos a Deus contando nossos desejos por coisas da concordância dele, em nome de Cristo, com confissão dos nossos pecados e com agradecimento por sua misericórdia”.

A oração nunca é um fardo que temos que carregar ou uma obrigação a cumprir. É, antes, um gozo do espírito e tem um poder sem limite.

“Oração é o sincero desejo da alma;

Expresso, ou calado dentro em nós.

O mover de um rio, trazendo calma;

É a comoção de espírito, na congregação ou a sós.

Se preocupação distrai, ou temos assombra;

Se culpa condena, ou pecados consomem;

Em todo caso, Ore! Ore! Descanse, Dele à sombra”. 

A atitude central é a compaixão

“Ao aflito deve o amigo mostrar compaixão, a menos que tenha abandonado o temor do Todo-Poderoso” (Jó 6:14).

Será que esse preceito vaticinado por Jó foi validado na Nova Aliança? Mateus registrou essas palavras de Jesus: “Tenho compaixão desta gente, porque há três dias que permanecem comigo e não tem o que comer; e não quero despedi-la em jejum, para que não desfaleça pelo caminho” (Mt 15:32).

Compaixão e temor do Senhor andam de mãos dadas. Essa deve ser sempre nossa atitude principal para com os que sofrem.

O Empenho é o cumprimento do mandato do Pai

Empenho é sede inexaurível de servir. É o aguilhão que nos move a cumprir nosso chamado.

Temos o exemplo tocante de Paulo, que disse: “Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus” (At 2:24).

A força é a identidade e o destino

Nosso maior exemplo é o Senhor Jesus. Quando perguntado por Pilatos se ele era rei, Ele respondeu: “Tu dizes que sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade” (Jo 18:37). Assim como Jesus, buscamos a certeza de quem somos e para que estamos aqui. É esta convicção a força propulsora daquilo para o que fomos chamados.

A Vida é para cumprir nossa Missão

Todos nós nascemos pelo desígnio de Deus e com uma missão pessoal. Essa missão é a razão da nossa vida.

Atitudes Gerais

Para com os doentes, é curá-los

O ministério de Jesus, que é o nosso paradigma, foi essencialmente de cura. Não temos em nós mesmos o poder para curar, mas o fazemos pelo poder de Deus, que exercemos em nome de Jesus. Também a Palavra de Deus ministrada traz cura e libertação; traz alívio e conforto para as pessoas. Através da oração podemos realizar um excelente ministério de cura.

Para com os perdidos, é encaminhá-los.

A situação do mundo está igual ou pior do que nos dias de Jesus. Por outro lado, encontramos multidões aflitas e exaustas, como ovelhas que não tem pastor. Pessoas que não sabem de onde vem nem para onde vão. Não sabem o caminho; estão perdidas. O deus deste século as cegou de tal maneira que estão sem a menor referência. É nossa incumbência encaminhar essas pessoas. Tanto crianças como adultos; todos precisam ser guiados em toda a verdade.

Para com os caídos, é levantá-los

Por todo o lugar encontramos pessoas caídas, em todos os sentidos. Aqueles que perderam o ânimo para a vida; aqueles que sofreram reveses nos negócios; aqueles que se acham mal sucedidos na criação dos filhos; aqueles que foram vítimas do pecado e muitos outros. Pessoas caídas de todas as maneiras. Deus nos chamou a levantar os caídos, como fez o samaritano ao homem caído no caminho, por onde já haviam passado o sacerdote e o levita.

Para levantar os caídos, temos que nos nivelar a eles, não da mesma realidade física ou moral, mas em atitude de simplicidade e humildade; compreensão e aceitação.

Para com os marginalizados, é valorizá-los

Muitos que vivem à margem do caminho. São indecisos; irresolutos; rejeitados; sem teto; sem voz; sem direito. Nossa tarefa é valorizá-los. Isso significa abrir-lhes o entendimento de que eles têm valor e ajudá-los a descobrir esse valor e utilizá-lo para a viabilização da vida. É investir algum capital moral; resgatar a dignidade; curar a autoestima e sugerir meios para assumir a vida.

Para com os arruinados, é reconstruí-los

Não poucas são as vezes que encontro pessoas, e até famílias inteiras, arruinadas. Às vezes a situação é muito desanimadora e não temos a menor ideia do que fazer. Entretanto, temos também visto pessoas e famílias reconstruídas por Deus de maneira milagrosa. Temos de crer que Deus é poderoso para fazer infinitamente mais do que pedimos ou pensamos (Is 58; Ef 3:20).

Para com os quebrados, é reintegrá-los

Um sentimento de desintegração ocupa o coração de grande parte da população hoje em dia. Não é apenas um sentimento, mas uma realidade. Famílias despedaçadas; pessoas portadoras de malformação social, espiritual e psicológica; desajustes de toda ordem; feridas na alma; atitudes de aviltamento, de aniquilamento e de autoextermínio crescem a cada dia. Essa é a hora de lembrarmo-nos do que vaticinou o profeta Ezequiel, traduzindo o coração de Deus: “a perdida buscarei, a desgarrada tornarei a trazer, a quebrada ligarei e a enferma fortalecerei…” (34:16).

Tal foi o ministério de Jesus, tal deve ser também o nosso: reintegrar os quebrados.

Para com os mortos no pecado, é dar-lhes a vida

Através do ministério realizado por humanos, o Divino devolve a vida aos mortos no pecado. Este é o grande sacramento. É como diz Paulo: “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora…” (Ef 2:1).

 Ecologia Espiritual

Todo organismo precisa de um ambiente onde possa viver e se expressar, para assim cumprir seus objetivos. O Hessed é um ministério criado e fundamentado nas Escrituras Sagradas, portanto é orgânico, e pede uma ecologia que lhe seja apropriada, em três dimensões, a saber:

Relacionamento com Deus

As pessoas envolvidas e comprometidas com o ministério, antes de tudo, são comprometidas com Deus. Vivem uma vida piedosa e virtuosa; isto quer dizer que são devotas à oração e vivem uma vida de pureza e integridade. Ouvem Deus através das Escrituras Sagradas e falam com Deus através da comunhão e da oração. Tem espírito quebrantado e coração humilde e não tem espírito de oposição.

Relacionamento com as pessoas

Nosso relacionamento com Deus implica em relacionamento com as pessoas e vice-versa. Construir, manter e restaurar relacionamentos é uma chamada permanente na vida de cada um de nós. Em relacionamentos, às vezes precisamos nos arrepender, pedir perdão; perdoar e relevar muitas ofensas e desapontamentos. Quando corrigia os irmãos de Corinto sobre litígios entre eles, Paulo lhes faz duas perguntas em tom de repreensão: “Por que não sofreis, antes, a injustiça? Por que não sofreis, antes, os danos?” (1 Co 6:7). Isto significa que o cristão assume os ônus e sofre os danos que porventura lhes restarem nos relacionamentos.

Relacionamento com a natureza em geral

Cremos que a incumbência dada por Deus aos nossos primeiros pais, no Éden, permanece como nosso dever: Cuidar da criação. Deus criou; o ser humano, especialmente o cristão, recria. Ele não só zela pela conservação, mas também pelo desenvolvimento, limpeza e embelezamento de toda a criação. Ecologia é do interesse de Deus e deve ser nosso também.

Quando essa ecologia é respeitada, o ser humano encontra a verdadeira significância para sua vida, seu real propósito, saúde e plenitude de vida.

 Redenção

É Graça que inclui para transformar; Graça que transforma para incluir.

Nome

Hessed, o Deus que faz, cumpre e nos ajuda a cumprir a aliança.

Hessed, Amor Incondicional.

Atitude para com Deus

Amor Incondicional, Hessed.

Natureza e Intensidade do Nosso Amor a Deus (Mt 22:37; Mc 12:30-33; Lc 10:27):

  • Afeição – de todo o coração;
  • Paixão – de toda a alma;
  • Razão – de todo o entendimento;
  • Dedicação – de toda a força.

Hessed - Arrependimento no lar

por Mauri e Mari Bordere